Tecendo fios nos espaços e tempos da escola na prisão

Autor:  Priscila Ribeiro Gomes

Resumo: O presente trabalho foi realizado numa escola prisional feminina no Estado do Rio de Janeiro, buscando por meio das memórias escolares escritas pelas presas e, algumas atividades expressivas da escola, como os murais produzidos por elas no ano de 2012, compreender os sentidos da escolarização bem como outras questões relacionadas à aprendizagem. Inspirada nos trabalhos de Ivor Goodson (2007; 2011), passei a refletir que para ocorrer mudanças no campo da aprendizagem era importante a vinculação dos conteúdos da aprendizagem a uma possibilidade de mudança significativa na vida das presas, não sendo suficiente apenas escrever novas prescrições ou matrizes curriculares. Buscando aprofundar o assunto, o estudo procurou assentar-se na metodologia da pedagogia narrativa, na tentativa de compreender os sentidos e significados produzidos na experiência escolar. Dessa forma passou a ser importante compreender o processo de escolarização como fortalecimento da autonomia do sujeito, no sentido de empoderamento, de maneira que a aprendizagem resultasse em um fortalecimento de si mesmo.

Orientador:  Maria do Carmo Martins

Área de concentração: Educação, Conhecimento, Linguagem e Arte

Instituição:  Universidade Estadual de Campinas / Ano: 2013

Download: PDF

Tags , , , .Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Sobre Cristina de Carvalho

Arquivista na NTX It Solutions, pós-graduanda em Gestão Eletrônica de Documentos pela USCS. Foi Bibliotecária na Faculdade de Ciências e Saúde de São Paulo e Auxiliar de Biblioteca na UNISA. Bibliotecária formada pelo UNIFAI.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.