Para estes meninos e meninas, qual docência? (escolas de sistemas socioeducativos – Brasil e Colômbia)

Autor:  Marília Sousa Andrade Dias

Resumo: A tese aborda os viveres de professores e professoras de escolas e salas de aula entre jovens adolescentes de Sistemas Socioeducativos de privação de liberdade no Brasil e na Colômbia. Nos dois países, os jovens conflitados pela lei são, em sua maioria, homens, pobres, afrodescendentes e mestiços das periferias das grandes cidades, dos quais os adolesceres e a jovialidade foram sequestrados pelas estruturas e dinâmicas sociais que marcam a história social da América Latina. Entre eles, estão seus professores e professoras nas lidas de uma docência “na tranca”, transparecendo seus traçados e trançados, suas alegrias e dores, suas tensões e desafios, que reverberam em docentes esperanças. O desenho metodológico da pesquisa realizada entre 2015 e 2018 se desenvolveu mediante os princípios dos Estudos de Caso, por meio de um levantamento e análise documental, de observação em salas de aula e de entrevistas semiestruturadas com docentes de escolas de centros de privação de liberdade de jovens em Belo Horizonte e de Bogotá. Com base na questão central que estrutura a pesquisa, que busca compreender qual docência se realiza junto destes e destas jovens, a tese está organizada em planos analíticos, após um breve percurso em busca das histórias destes/as jovens, ponto de partida para a análise das doutrinas e legislação que regulam o sistema de responsabilidade penal de jovens no Brasil e na Colômbia. Tais planos analíticos discutem a questão central da tese, relativa às características e peculiaridades da docência nos territórios das escolas nos centros de privação de liberdade. A tese desenvolve o argumento de que, em ambientes de privação de liberdade, as vivências docentes estão marcadas por especificidades que as diferenciam de outras instituições educativas. Para além de suas marcas peculiares, analisa as ambiguidades da docência entre grades e conclui evidenciando algumas possibilidades de se realizar uma docência libertadora, na perspectiva dos direitos, que se traduzem e se constituem como docentes esperanças.

Orientador: Timothy Ireland 

Área de concentração: Educação

Instituição: Universidade Federal de Minas Gerais Ano: 2019

Download: PDF

Tags , , , , , .Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Sobre Cristina de Carvalho

Arquivista na NTX It Solutions, especialização em Gestão Eletrônica de Documentos pela USCS e MBA em Gestão da Informação em Saúde pela UNISA. Foi Bibliotecária na Faculdade de Ciências e Saúde de São Paulo (FACIS) e Auxiliar de Biblioteca na UNISA. Bibliotecária formada pelo UNIFAI.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *