O Ensino-Aprendizagem do Inglês como Língua Estrangeira (ILE) no Espaço Dentro-Fora da Lei de uma Unidade Socioeducativa para Adolescentes infratores

Autor: Valdeni da Silva Reis

Resumo: Esta pesquisa investiga o modo como os sentidos são arrolados no ensino e na aprendizagem do Inglês como Língua Estrangeira (ILE) em uma Unidade Socioeducativa para menores em conflito com a LEI da cidade de Belo Horizonte, MG. Após cometer uma infração grave ou gravíssima, o Estatuto da Criança e do Adolescente determina que o adolescente seja submetido às medidas socioeducativas que podem incluir a internação do menor. Durante o tempo de internação, os alunos devem ter acesso à mesma grade curricular das escolas regulares do estado de Minas Gerais. Deste modo, os adolescentes internos têm acesso a aulas de ILE, juntamente com as aulas de outras disciplinas curriculares do ensino fundamental e do médio. Descrevemos e analisamos quais e como são as ações dentro do (não) ensino e da (não) aprendizagem do ILE nesse espaço. O estudo explora a noção de memória relacionada à noção de espaço como ponto central para compreender como ILE é nomeado nesse contexto. A investigação objetiva, portanto, compreender como são estabelecidos e negociados, entre a professora e os alunos, o espaço institucional ou físico e o espaço discursivo na constituição do ensino e da aprendizagem do ILE. Dentre as gravações feitas em áudio na sala de aulas de inglês, analisamos uma aula apresentando uma detalhada descrição do modo como os participantes tomam a palavra, constituindo sua posição discursiva e revelando os diversos entrelaçamentos das relações. A partir da gravação em áudio e da transcrição da aula, foi estabelecido um minucioso mapa estrutural das tomadas de posição dos envolvidos. Os temas emergentes na análise da aula são confrontados com os diários e com as entrevistas coletados para a pesquisa. Utilizamos teorias do discurso como metodologia de análise, sendo que a formação do corpus e o tratamento dos fatos linguísticos estão ancorados nos princípios etnográficos de pesquisa. Mais especificamente, o estudo se constitui como uma perspectiva discursiva comprometida com a noção de subjetividade psicanalítica. A análise aponta a constituição de um espaço confuso advindo do entrelaçamento entre os significantes educacional e prisional, mas, também, do modo com que os participantes assumem ou não suas posições enunciativas nesse espaço discursivo. Além disso, constatamos que o espaço confuso é também delimitado por meio do efeito de suspensão, a partir do qual o momento presente do ensino e da aprendizagem do ILE mostra-se suspenso ou até mesmo estagnado através da incansável repetição de um dado conteúdo linguístico. O efeito de suspensão se dá também por meio de retomadas de discursos sobre o que acontece(u) aos alunos em outro lugar, em outro tempo jogado em cena pelo trabalho da memória que aí circula.

Orientador: Maralice de Souza Neves

Área de concentração: Lingüística Aplicada

Instituição: Universidade Federal de Minas Gerais / Ano: 2011

Download: PDF

Tags , , , , , .Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Sobre Cristina de Carvalho

Arquivista na NTX It Solutions, pós-graduanda em Gestão Eletrônica de Documentos pela USCS. Foi Bibliotecária na Faculdade de Ciências e Saúde de São Paulo e Auxiliar de Biblioteca na UNISA. Bibliotecária formada pelo UNIFAI.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.