A prática pedagógica na escola em unidades socioeducativas do município de João Pessoa – PB

Autor: Camilla Queiroz de Oliveira

Resumo: O tema deste estudo é a atuação docente na modalidade da Educação de Jovens e Adultos (EJA) nas escolas do Sistema Socioeducativo fornecidas para adolescentes em conflito com a lei que cumprem Medidas Socioeducativas em privação de liberdade. Tem como objetivo geral, investigar a prática pedagógica realizada na escola em Unidades de Atendimento Socioeducativo de Internação do Município de João Pessoa – Paraíba. Para tanto, foi realizado uma experiência na Escola Estadual Cidadã Integral Almirante Saldanha oportunizada pelo Estágio Supervisionado do Curso de Pedagogia da Universidade Federal da Paraíba – UFPB, fornecendo uma perspectiva dessa prática pedagógica nas salas de aula da Escola do Sistema Socioeducativo do Município. O trabalho foi embasado teoricamente em fontes primárias mediante ao ECA (1990), LDBE (1996), PCN (1997), CNE/CEB (2000), SINASE (2006), CNE/CEB (2010) e ENS (2014). Com abordagem em guias para o sistema socioeducativo do autor Costa (2006), em estudos de Bisinoto (2015) acerca da Socioeducação e Pedagogia Social respaldada nos autores Moraes (2011) e Severo (2017). Os procedimentos metodológicos têm natureza qualitativa, pautados em pesquisa de campo, através da aplicação de um questionário com professoras dos anos iniciais do Ensino Fundamental da referida escola, bem como a observação participante nessa realidade educacional. Entre os resultados, constatou-se que a formação inicial das professoras não contemplou as discussões da EJA na Socioeducação; participaram da capacitação introdutória e da formação continuada; conhecem os documentos que norteiam sua prática profissional no Sistema Socioeducativo; as professoras elaboram suas aulas mediante as necessidades dos alunos, conhecimentos que julgam essenciais, conteúdo das disciplinas e a partir de atividades lúdicas; utilizam variados materiais didáticos; enfrentam dificuldades no desenvolvimento do trabalho pedagógico; utilizam a modalidade de Avaliação Formativa, com procedimentos qualitativos e centradas na alternativa de Avaliação Contínua; e possuem como os maiores desafios no processo de ensino-aprendizagem como a evasão escolar, aquisição da leitura e da escrita, falta de motivação dos alunos, ausência do apoio familiar, tempo limitado, aprovação dos alunos, recursos pedagógicos e segurança. Considera-se que a prática pedagógica investigada se constitui na Educação Formal, mas se realiza no contexto da Socioeducação, com especificidades no processo pedagógico caracterizando-a como Pedagogia Social. Apesar do espaço obter regimentos estabelecidos principalmente para assegurar a execução das Medidas Socioeducativas, os professores têm função social e política no desenvolvimento dos adolescentes, empenham-se na ressocialização e na ressignificação do tempo vivido pelos alunos na privação de liberdade.

Orientador: Maria da Conceição Gomes de Miranda

Área de concentração: Ciências Humanas: Educação

Instituição:   Universidade Federal da Paraíba Ano: 2018

Download: PDF

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Sobre Cristina de Carvalho

Arquivista na NTX It Solutions, especialização em Gestão Eletrônica de Documentos pela USCS e MBA em Gestão da Informação em Saúde pela UNISA. Foi Bibliotecária na Faculdade de Ciências e Saúde de São Paulo (FACIS) e Auxiliar de Biblioteca na UNISA. Bibliotecária formada pelo UNIFAI.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.