A educação como método de humanização nas unidades prisionais masculinas do município de Campos dos Goytacazes, RJ: ressocializar para o futuro conquistar

Autor: Ivanise Ferreira Silva

Resumo: O presente trabalho faz uma abordagem sobre a educação sendo utilizada como um método de humanização nas unidades prisionais masculinas do município de Campos dos Goytacazes – RJ, buscando o entendimento sobre o assunto por meio de pesquisa bibliográfica e com a realização de um estudo de caso, fazendo uma análise através de entrevistas, observando a atuação da educação no processo de ressocialização das pessoas que se encontram sob custódia do Estado, cumprindo pena no sistema carcerário dos presídios do município. A fundamentação teórica da pesquisa é composta de explanação sobre a educação no sistema penitenciário, ressaltando sobre a história da educação nas instituições prisionais; demonstrando o que as leis dizem sobre a assistência à educação dos apenados; pesquisando sobre a educação dos detentos da cidade, fazendo um breve relato sobre as unidades prisionais masculinas; e conceituando a pedagogia da humanização das prisões. Assim, visto que o sistema carcerário afronta diretamente a dignidade da pessoa humana, não conseguindo ela facilmente reformular os valores distorcidos, o presente estudo tem o objetivo de contribuir para a ampliação do conhecimento em torno da educação penitenciária dentro da realidade prisional masculina da cidade.

Orientador: Marco Brandão

Área de concentração: Ciências Sociais

Instituição:  Universidade Federal Fluminense / Ano: 2015

Download: PDF

Tags , , .Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Sobre Cristina de Carvalho

Arquivista na NTX It Solutions, especialização em Gestão Eletrônica de Documentos pela USCS e MBA em Gestão da Informação em Saúde pela UNISA. Foi Bibliotecária na Faculdade de Ciências e Saúde de São Paulo (FACIS) e Auxiliar de Biblioteca na UNISA. Bibliotecária formada pelo UNIFAI.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *