Pesquisa mapeia demandas de presos a partir da análise de cartas do cárcere

Cumprimento de direitos previstos em lei, como progressão de pena, e acesso a advogado são principais pedidos
Por: Renata Mariz

Presos na Penitenciária Moniz Sodré, no Rio: principal denúncia é o descumprimento de direitos previstos na lei de execução penal, como progressão de regime, autorização para saída temporária, remição de pena e alvará de soltura Foto: Gustavo Stephan/25-02-2010

BRASÍLIA – Em meio ao relato, um pedido de desculpas pela “falta de educação” em escrever com caneta vermelha. Mas foi o único material obtido em troca de ceder por uma semana o próprio café da manhã, explica o preso do Paraná. De uma cadeia de Minas Gerais, a comunicação veio num pedaço de papel higiênico devido à ausência de cadernos. Uma outra correspondência, cuja origem é preservada, ganhou um carimbo de “censura”.

Os casos foram extraídos das 8.818 cartas de presos que chegaram à Ouvidoria Nacional dos Serviços Penais (ONSP) do Departamento Penitenciário Nacional (Depen) em 2016. Uma pesquisa inédita obtida pelo GLOBO, financiada pelo governo federal em parceria com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), mapeou as demandas e narrativas sobre o cárcere no Brasil a partir do acervo.

Leia matéria completa

Tags , , , .Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Sobre Cristina de Carvalho

Arquivista na NTX It Solutions, pós-graduanda em Gestão Eletrônica de Documentos pela USCS. Foi Bibliotecária na Faculdade de Ciências e Saúde de São Paulo e Auxiliar de Biblioteca na UNISA. Bibliotecária formada pelo UNIFAI.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.