Livro sobre sistema carcerário, feito a partir de cartas de presos, é lançado no DF

Por Luiza Garonce, G1 DF

Obra foi escrita a partir da análise de 8.818 cartas com denúncias e pedidos de ajuda de encarcerados de todo o país em 2016.

Fotos: Cartas do cárcere/Reprodução

Nos presídios brasileiros, onde a lei nem sempre é aplicada com o rigor do lado de fora, um papel e uma caneta podem ser os únicos instrumentos de tentativa de defesa de quem está privado da liberdade de ir e vir.
Há dois anos, 43% das unidades prisionais para adultos do país remeteram pedidos de ajuda e denúncias de detentos para órgãos públicos – como o Supremo Tribunal Federal (STF), a Presidência da República e o Ministério Público Federal (MPF).
Todas elas necessariamente passaram pela Ouvidora Nacional dos Serviços Penais, submetida ao Ministério da Justiça e responsável pela triagem e encaminhamento das cartas. Em 2016, chegaram 8.818 manuscritos de presidárias e presidiários de todo o país.

Leia matéria completa

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Sobre Cristina de Carvalho

Arquivista na NTX It Solutions, especialização em Gestão Eletrônica de Documentos pela USCS e MBA em Gestão da Informação em Saúde pela UNISA. Foi Bibliotecária na Faculdade de Ciências e Saúde de São Paulo (FACIS) e Auxiliar de Biblioteca na UNISA. Bibliotecária formada pelo UNIFAI.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.