Perspectivas jurídico-educacionais do uso da videoteca no sistema educacional prisional

 Autor: Karen Machado Duarte

Resumo: A contemporaneidade trouxe consigo as inovações tecnológicas e seus mais variados recursos. Não ser absorvido pelas mais variadas mídias que circundam o cotidiano é impossível. Contudo, para um segmento da sociedade, tais mídias ainda são uma possibilidade longínqua: os que estão em condição de vulnerabilidade social, os apenados. A população prisional que por razões judiciais perdeu o direito a liberdade, teve, na grande maioria das vezes, em seu percurso de vida, o direito a educação também negligenciado, por toda a sorte de razões, quais sejam: família, Estado. Analisar o percurso histórico das legislações até os dias atuais, delimitando o direito à educação gratuita, acessível a todos de forma equitativa e contemporânea, em que pese o desenvolvimento do uso do vídeo e sua importância para a função ressocializadora em que o aparelho estatal está assentado, tendo em vista a Constituição Federal do Brasil de 1988 e o princípio da dignidade humana. e comparando com o acesso a escola é parte integrante deste trabalho. Neste sentido, o objetivo deste trabalho é verificar a possibilidade de utilização da mídia vídeo como proposta educativo-pedagógica nas escolas prisionais com vistas à ressocialização dos educandos. A proposta inicial teve por base o levantamento bibliográfico e a participação na implementação dos vídeos na videoteca, criada pelo serviço de psicologia, dentro do ambiente prisional. Todavia, não foi possível a divulgação dos resultados aferidos a partir da aplicação dos vídeos com os educandos apenados. As conclusões obtidas, no tocante ao levantamento bibliográfico, é de que a escola, considerando seus aspectos pedagógicos, tem variadas limitações quanto à aplicabilidade da diversidade midiática, especificamente o uso do vídeo e da videoteca, dentro das salas de aulas prisionais. Tais razões estão assentadas quer seja no âmbito legal, quer sejam no âmbito da execução dos serviços prisionais de segurança.

Orientador: Ana Marli Bulegon

Área de concentração: Ciências Humanas:: Mídias na Educação

Instituição:  Universidade Federal do Rio Grande do Sul Ano: 2012

Download: PDF

Tags , , , , , , .Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Sobre Cristina de Carvalho

Arquivista na NTX It Solutions, pós-graduanda em Gestão Eletrônica de Documentos pela USCS. Foi Bibliotecária na Faculdade de Ciências e Saúde de São Paulo e Auxiliar de Biblioteca na UNISA. Bibliotecária formada pelo UNIFAI.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.