Projeto incentiva leitura e produção de resenhas entre presos

Com incentivo à leitura, projeto Resenha Livre busca desconstruir o estigma em relação aos presos por meio da literatura

Editora Carambaia estimula a leitura entre detentos em presídio no interior de São Paulo

O hábito da leitura não está entre os mais populares em nosso país. Pesquisa recente sobre o tema indica que o brasileiro lê menos de cinco livros por ano. Essa média muda radicalmente, porém, se o público analisado for o dos presidiários. Na infinitude das palavras, essas pessoas encontram alternativa para viver o mundo do outro lado do muro: detentos leem nove vezes mais que a média nacional.

Uma recomendação do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) permite aos presos, além da oportunidade de leitura dos mais variados títulos, produzir resenhas das obras – cada resenha é avaliada por uma comissão e pode resultar em quatro dias a menos da pena.

Nesse contexto nasceu o projeto Resenha Livre, onde essas sinopses e análises ganham vida e voz em uma iniciativa organizada pela agência Artplan em parceria com a Editoria Carambaia. A ideia é baseada em dois pontos: apoiar a leitura a produção de resenha entre os detentos e desconstruir o estigma negativo em relação à população carcerária brasileira.

Leia matéria completa

Tags , , , , .Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Sobre Cristina de Carvalho

Arquivista na NTX It Solutions, especialização em Gestão Eletrônica de Documentos pela USCS e MBA em Gestão da Informação em Saúde pela UNISA. Foi Bibliotecária na Faculdade de Ciências e Saúde de São Paulo (FACIS) e Auxiliar de Biblioteca na UNISA. Bibliotecária formada pelo UNIFAI.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.