Comissão de bibliotecas prisionais

Catia Lindemann, CRB/10-2349. Presidente da Comissão Brasileira de Bibliotecas Prisionais – CBBP. Bibliotecária formada pela Universidade Federal do Rio Grande – FURG. Ativista de Biblioteconomia Social com atuação em Bibliotecas Prisionais e Mediação da Leitura para Populações Socialmente Vulneráveis. Responsável pela implantação de Biblioteca na maior Penitenciária do Interior do Estado do Rio Grande do Sul, contribuindo para que apenados se transformassem em autores de obras literárias.

Espaço de discussão sobre Biblioteconomia Social: https://biblioteconomiasocial.blogspot.com.br/. Lattes

RBBD: Por que a Comissão de Bibliotecas Prisionais foi criada?

Catia Lindemann: Em função da preocupação com a ausência de debates e reflexões concernentes à temática das bibliotecas prisionais e respaldo dentro da relevância pertinente que envolve as unidades de informação presentes no cárcere. Além disso, o manifesto da IFLA/UNESCO sobre bibliotecas públicas 1994 entende que o acesso à informação é fundamental para o desenvolvimento dos indivíduos e da sociedade como um todo. Neste sentido, encoraja as autoridades nacionais e locais a comprometerem-se no desenvolvimento das bibliotecas públicas, que devem oferecer serviços para todos, sem distinção de idade, cor, raça, religião ou condição social, inclusive pessoas privadas de liberdade. Ao final, o Manifesto faz um convite à comunidade de bibliotecários para que seus princípios sejam implementados. Considerando as discussões atuais sobre as bibliotecas de estabelecimentos penitenciários, bem como a possibilidade de remição da pena por meio da leitura, ao criar a Comissão Brasileira de Bibliotecas Prisionais, a FeBAB buscou cumprir com os princípios estabelecidos no Manifesto.

Leia entrevista completa

Tags , , , .Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Sobre Cristina de Carvalho

Arquivista na NTX It Solutions, especialização em Gestão Eletrônica de Documentos pela USCS e MBA em Gestão da Informação em Saúde pela UNISA. Foi Bibliotecária na Faculdade de Ciências e Saúde de São Paulo (FACIS) e Auxiliar de Biblioteca na UNISA. Bibliotecária formada pelo UNIFAI.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.