Práticas de educação física no cárcere: tecnologias digitais como recurso pedagógico

Autor: Nanderson Rafael Rosenau

Resumo: Esta pesquisa aborda as práticas de Educação Física no cárcere e as tecnologias digitais como recurso pedagógico. Entende-se que na formação docente inicial os acadêmicos deveriam vivenciar práticas nos mais diversos cenários de atuação com jovens e adultos. Neste sentido, há necessidade de investir na formação continuada e permanente dos professores que atuam no cenário prisional, pois, para atuar neste espaço é preciso formação específica. Considerando relevante o uso das tecnologias digitais, no sentido de inovar a prática pedagógica com metodologias de ensino no trabalho docente, o problema de pesquisa foi delineado, de modo a contemplar o desenvolvimento das dimensões de educação, saúde, lazer e esporte para os adultos em situação de privação de liberdade. A pesquisa partiu do questionamento: como os professores de Educação Física do sistema educacional do cárcere utilizam as tecnologias digitais como recurso pedagógico? O objetivo foi o de verificar a utilização das tecnologias digitais, enquanto recursos pedagógicos, nas práticas de Educação Física no sistema prisional. Para tanto, foi necessário identificar o contexto histórico e aspectos legais da EJA no cárcere na disciplina de Educação Física, traçar o perfil dos professores que atuam na referida área, visando analisar as práticas dos mesmos no atendimento aos Conteúdos Estruturantes e aos Elementos Articuladores propostos nas Diretrizes Curriculares do Estado do Paraná. A investigação buscou identificar desafios e limites no desenvolvimento das práticas de Educação Física com uso das Tecnologias Digitais como Recurso Pedagógico no Sistema Prisional. A pesquisa é de abordagem qualitativa, do tipo pesquisa-ação diagnóstica, de natureza exploratória descritiva. A pesquisa teve aprovação junto ao Comitê de Ética em Pesquisa do Setor de Ciências da Saúde da Universidade (CEP/UFPR). Os dados levantados foram obtidos pela aplicação de questionário aos professores de Educação Física que atuam em cinco penitenciárias estaduais, de dois CEEBJAs. Com vista a atender a discussão proposta neste estudo as respostas dos professores foram analisadas a luz de Lefreve e Lefreve (2012), os discursos foram organizados em Ideia-Chave (ICH) e Ideia-Central (IC). Como resultado evidenciou-se que os professores de Educação Física do Sistema Carcerário têm preocupação com a reintegração social dos educandos, segundo eles uma questão de humanização, mas apontam a questão de segurança, o que limita ao uso dos recursos de modo off-line. Consideram limites e desafios para o desenvolvimento das práticas com uso das tecnologias como recursos pedagógicos, mas ao mesmo tempo se sentem motivados, pois, afirmam que essas práticas com outros recursos despertariam maior engajamento dos educandos nas práticas de Educação Física em diferentes espaços do cárcere. 

Orientador: Sonia Maria Chaves Haracemiv

Área de Concentração: Educação

Instituição:  Universidade Federal do Paraná / Ano: 2018

Download: PDF

Tags , , .Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Sobre Cristina de Carvalho

Arquivista na NTX It Solutions, pós-graduanda em Gestão Eletrônica de Documentos pela USCS. Foi Bibliotecária na Faculdade de Ciências e Saúde de São Paulo e Auxiliar de Biblioteca na UNISA. Bibliotecária formada pelo UNIFAI.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.