Organização do trabalho pedagógico na educação prisional

Autor: Lucia Regina Salvalaggio

Resumo: Esta pesquisa apresenta uma análise sobre a organização do trabalho pedagógico na educação prisional, tomando como agentes da pesquisa os pedagogos que atuam no Centro Estadual de Educação Básica para Jovens e Adultos – CEEBJA Dr. Mário Faraco, instituição escolar que se encontra dentro do Sistema Penitenciário do Estado do Paraná, em Piraquara, que realiza atendimento escolar em parceria com SEJU/SESP, desde 1982. Como objetivo geral foi proposto analisar como acontece a organização do trabalho pedagógico na educação prisional frente às diversas atribuições assumidas pelos pedagogos, e como objetivos específicos definiu-se: discutir a educação prisional; identificar o perfil do sujeito privado de liberdade que se encontra no processo de escolarização no CEEBJA Dr. Mário Faraco; relacionar alguns fatores limitadores na educação prisional; discutir como se articula a organização do trabalho pedagógico na educação prisional. Desta forma, foram elencadas as principais atribuições do pedagogo no interior do CEEBJA e do sistema prisional, analisando-se sua prática e estabelecendo alguns critérios que norteiam a prática dos pedagogos que trabalham no sistema prisional, assim como as diversas atribuições assumidas pelos pedagogos que se sobrepõem às principais questões pedagógicas. Na primeira parte do trabalho, discutiu-se a educação prisional, caracterizando, inicialmente, a educação de jovens e adultos – EJA e a seguir a EJA na prisão; e, posteriormente, apresentando um breve histórico do CEEBJA Dr. Mário Faraco com base em teóricos como: Arroyo (2007), Freire (2013), Gadotti (2011), Julião (2007), Onofre (2014), Saviani (2010, 2013). Na segunda parte, apresentou-se a função social do pedagogo, analisando-se o conceito de pedagogia e destacando as principais atribuições para posterior análise neste trabalho investigativo sobre a organização do trabalho pedagógico. Foram utilizados como referencial bibliográfico nesta etapa: Bruno (2009), Placco (2009), Garrido (2009), Pimenta (2012), Vasconcellos (2013). Na sequência, apresentou-se o trabalho de campo realizado sob um enfoque qualitativo, do tipo exploratório, com a combinação de análise teórica e trabalho empírico, usando o recurso da entrevista. Para a exploração dos materiais analisados, recorreu-se ao método de Análise de Conteúdo, com base em Bardin (2011). Pretende-se, com esta pesquisa, oferecer análise e subsídios sobre a organização do trabalho pedagógico e a formação continuada na educação prisional, para pedagogos, educadores e pessoas que tenham interesse em conhecer e/ou trabalhar no contexto da educação no sistema prisional. Este tema ainda é pouco explorado, por isso torna-se importante enfatizar a importância desta modalidade de educação voltada para a essência da formação humana, dando visibilidade à educação prisional, aos educadores e pedagogos, significando, também, desvelar o trabalho realizado para a sociedade apesar dos limites e contradições existentes para a efetivação de uma educação de qualidade.

Orientador:  Iêda Viana

Área de concentração: Educação

Instituição:   Universidade Tuiuti do Paraná / Ano: 2016

Download: PDF

Tags , , , , .Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Sobre Cristina de Carvalho

Arquivista na NTX It Solutions, especialização em Gestão Eletrônica de Documentos pela USCS e MBA em Gestão da Informação em Saúde pela UNISA. Foi Bibliotecária na Faculdade de Ciências e Saúde de São Paulo (FACIS) e Auxiliar de Biblioteca na UNISA. Bibliotecária formada pelo UNIFAI.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.