O Trabalho de professores/as em um espaço de privação de liberdade: necessidades de formação continuada

Autor: Andréa Rettig Nakayama

Resumo: O presente trabalho de pesquisa tem como problemática as necessidades de formação continuada dos docentes que atuam na Escola Supletiva da Penitenciária, situada no Complexo Penitenciário do município de Florianópolis. Desse modo, no sentido de problematizar quais as necessidades de atuação e de formação continuada de docentes que atuam nesses espaços, a pesquisa tem como objetivos: apresentar estudos teóricos e documentais de aprofundamento dos conceitos de formação de professores, práticas pedagógicas e educação escolar de jovens e adultos em espaços de privação de liberdade, as necessidades de formação continuada específicas dos/as docentes que trabalham na Escola Supletiva da Penitenciária de Florianópolis. Como procedimento metodológico priorizou-se a pesquisa qualitativa de caráter exploratório, mediante a análise documental acerca de textos legais e de orientação que versam sobre os espaços de privação de liberdade, estudos bibliográficos para a discussão teórica das categorias docência nos espaços de privação de liberdade, práticas pedagógicas e formação continuada e a realização de entrevistas semi-estruturadas com os docentes que atuam na Escola em questão. Como contributos teóricos para a compreensão das práticas pedagógicas destacam-se Contreras (2002), Laffin (2006), Sacristán (1995), Freire (1996) e Pimenta (2002). A fim de compreender a relação do/a professor/a, os/as alunos/as e da Escola com o Complexo Penitenciário, utilizou-se como referência os estudos de Onofre (2007), Julião (2007 e 2010), Paiva (2009), Charlot (2000), Carvalho (1999), Ireland (2010) e Goffman (2010). Para o aprofundamento teórico acerca da formação continuada, destacam-se Marin (1995), Rodrigues e Esteves (1993), Arroyo (2006) Haddad (2001) e Barreto (2006). A presente pesquisa evidenciou que as necessidades de formação dos/as docentes investigados não estão restritas às questões relacionadas diretamente ao modo de funcionamento dos espaços de privação de liberdade, mas sim a questões mais abrangentes relacionadas às particularidades do trabalho docente nesses espaços, às suas metodologias, avaliações e fundamentos da Educação de Jovens e Adultos. Entretanto, essas questões surgem a partir da ainda pouca compreensão e discussão acerca dessas especificidades em processos formativos tanto por parte das instituições de formação de professores como pelas redes de ensino, responsáveis pelo funcionamento da educação escolar nos espaços de privação de liberdade. Sendo assim, reafirma-se a importância de ampliar a discussão e também de oportunizar a oferta de formação continuada que leve em consideração as particularidades de atuação e formação dos docentes que atuam nos espaços de privação de liberdade, enquanto direito destes e dos próprios sujeitos estudantes.

Orientador: Maria Hermínia Lage Fernandes Laffin

Área de concentração: Educação

Instituição:  Universidade Federal de Santa Catarina / Ano: 2011

Download: PDF

Tags , , .Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Sobre Cristina de Carvalho

Arquivista na NTX It Solutions, especialização em Gestão Eletrônica de Documentos pela USCS e MBA em Gestão da Informação em Saúde pela UNISA. Foi Bibliotecária na Faculdade de Ciências e Saúde de São Paulo (FACIS) e Auxiliar de Biblioteca na UNISA. Bibliotecária formada pelo UNIFAI.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.