Narrativas e memórias das escolas em prisões do Rio de Janeiro

Autor: Cristina Marcelo dos Santos

Resumo: Esta dissertação tem por objeto o estudo da educação em prisões no Estado do Rio de Janeiro à luz do campo da Memória Social. A pesquisa começa com o mapeamento das leis que fundamentaram a criação e o desenvolvimento das escolas no sistema penal, traçando um percurso histórico, desde o surgimento da primeira instituição carcerária brasileira, no século XIX. Acrescenta-se à coleta de dados uma entrevista qualitativa com uma das docentes que participou do processo de implementação da primeira escola do Rio. A base teórica apoia-se em algumas concepções de Jô Gondar (2003, 2005) sobre o campo da Memória Social assim como o estudo de alguns autores relevantes da área. O objetivo geral dessa pesquisa é compreender a construção da memória da educação em prisões no Estado do Rio de Janeiro. Conclui-se que apesar dos grandes avanços legais e administrativos na educação no sistema penitenciário, ainda não há oferta suficiente em relação à demanda, mesmo que tal atividade educativa não represente, de forma alguma, a constituição de um privilégio mas sim, a garantia de um direito do apenado.

Orientador: Diana de Souza Pinto

Área de Concentração: Memória Social

Instituição:  Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro / Ano: 2015

Download: PDF

Tags , , , , .Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Sobre Cristina de Carvalho

Arquivista na NTX It Solutions, pós-graduanda em Gestão Eletrônica de Documentos pela USCS. Foi Bibliotecária na Faculdade de Ciências e Saúde de São Paulo e Auxiliar de Biblioteca na UNISA. Bibliotecária formada pelo UNIFAI.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.