Entre sabres, sabores e desafios da tarefa educativa com jovens em conflito com uma lei: como as educadoras significam os processos educativos no espaço do programa de medidas socioeducativas no meio aberto

Autor: Rubia Fernanda Quinelatto

Resumo: O estudo apresentado nesta dissertação de Mestrado busca trazer algumas compreensões sobre o trabalho educativo de orientadoras de um Programa de Medidas Socioeducativas em Meio Aberto, Liberdade Assistida e Prestação de Serviços à Comunidade, no município de São Carlos/SP, destinado a jovens em conflito com a lei. A questão de pesquisa norteadora da investigação assim se explicita: como as orientadoras do Programa de Medidas Socioeducativas em Meio Aberto, Liberdade Assistida, no município de São Carlos/SP, significam o espaço onde atuam e como avaliam as práticas educativas que ali desenvolvem? Para atender à questão norteadora, a pesquisa de natureza qualitativa, tem como objetivo geral: analisar e compreender a perspectiva das orientadoras em relação ao seu trabalho com jovens que estão em cumprimento de medida socioeducativa e ao espaço em que atuam. Participaram como colaboradoras, seis orientadoras do Programa de Medidas Socioeducativas em Meio Aberto e foram utilizados como procedimentos metodológicos entrevistas, observação com registros organizados em diários de campo e análise documental. Os dados coletados foram organizados e deles emergiram quatro focos de análise: o Programa de Medidas Socioeducativas na visão das orientadoras, enquanto possibilitador de novas oportunidades à vida dos(as) jovens autores(as) de ato infracional; as oficinas do Programa de Medidas Socioeducativas na visão das orientadoras em que estas revelam que tais oficinas se constituem em possibilidades de integração, reflexão e aprendizado em diferentes áreas; a relação com a escola dos(as) jovens em conflito com a lei na visão das orientadoras que evidencia que os(as) jovens não são acolhidos pela escola, o que resulta em sua não permanência nesse espaço formal de educação, por fim, como se educam orientadoras e os jovens em conflito com a lei em um Programa de Medidas Socioeducativas anuncia o conviver, o estar junto, as trocas e partilhas propiciadas pelo diálogo no grupo. A análise dos dados está embasada em autores latinoamericanos e pesquisadores(as) do tema, que subsidiaram nossas reflexões, no sentido de desvelar e construir caminhos nas práticas sociais que ocorrem no interior de espaços de liberdade vigiada, e que anunciam a especificidade dos processos educativos que nelas ocorrem, podendo contribuir na (re)integração dos jovens em conflito com a lei à vida social.

Orientador:  Elenice Maria Cammarosano Onofre

Área de concentração: Educação

Instituição:   Universidade Federal de São Carlos Ano: 2013

Download: PDF 

Tags , , , .Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Sobre Cristina de Carvalho

Arquivista na NTX It Solutions, pós-graduanda em Gestão Eletrônica de Documentos pela USCS. Foi Bibliotecária na Faculdade de Ciências e Saúde de São Paulo e Auxiliar de Biblioteca na UNISA. Bibliotecária formada pelo UNIFAI.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.