Educação prisional: preconceito, potencial (de)formativo e ressocialização

Autor: Elaine Regina da Silva

Resumo: Este trabalho vincula-se à linha de pesquisa Cultura e Processos Educacionais do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Goiás e ao Núcleo de Estudos em Educação, Violência, Infância, Diversidade e Arte (NEVIDA/UFG/FE). Sua natureza metodológica foi teórico-bibliográfica e teve por objetivo compreender os impactos ou não do processo educacional ministrado aos reeducandos em uma unidade prisional do Estado de Goiás, para discutir o quanto a educação, como meio, é capaz de restituir, efetivamente, o reeducando para a sociedade. Para tanto, tornou-se necessário abordar as categorias trabalho, educação, preconceito, violência, sistema prisional, indivíduo, sociedade, barbárie, ressocialização e emancipação. Nesse processo, o aporte teórico contou com os autores Adorno e Horkheimer (1985), Marx (2008), Foucault (1999; 2005), Freud (2012), Crochik (1997), Costa (1985), Zanolla (2007; 2012), entre outros. A partir da busca pelo entendimento dessas categorias mencionadas, iniciou-se uma a reflexão acerca da educaçãoministrada em uma Unidade Prisional, bem como da composição histórica da questão carcerária enquanto segregação de indivíduos, que não se adequam às normas impostas pela sociedade. Foi importante perceber a história da carceragem em épocas distintas, com evidência para o capitalismo, quando culminou a discussão acerca das relações produtivas estabelecidas pela inegável busca pelo lucro. Pôde-se perceber, nesse cenário, a elaboração do pensamento sobre o papel da educação na sociedade capitalista e a possibilidade do empreendimento da crítica ao capitalismo, com base na Teoria Crítica da Sociedade como mediadora das reflexões.

Orientador: Silvia Rosa da Silva Zanolla

Área de concentração: Educação

Instituição:  Universidade Federal de Goiás / Ano: 2018

Download: PDF

Tags , , .Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Sobre Cristina de Carvalho

Arquivista na NTX It Solutions, pós-graduanda em Gestão Eletrônica de Documentos pela USCS. Foi Bibliotecária na Faculdade de Ciências e Saúde de São Paulo e Auxiliar de Biblioteca na UNISA. Bibliotecária formada pelo UNIFAI.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.