Desenvolvimento de competências infocomunicacionais em contexto prisional: proposta de um modelo de formação para a utilização da internet no contexto prisional português

Autor: Daniela Graça Silva Rocha

Resumo: As TIC têm um papel marcante em várias áreas da sociedade portuguesa actual. Existem enquanto apoio informal das relações humanas e como instrumento de cidadania pela disponibilização de serviços. Em paralelo, a reintegração social pós-reclusão é uma temática-chave no sistema penal português e respectiva legislação, reflectindo-se, em 2012, na alteração do nome da Direcção-Geral de Serviços Prisionais, para Direcção-Geral de Reinserção e Serviços Prisionais. Esta dicotomia entre uma sociedade cada vez mais presente e dependente da rede e a importância da reintegração dos reclusos, leva a questionar de que forma a disponibilização do acesso à Internet em contexto escolar prisional tem sido um factor de reintegração social. A literatura revela que a educação é um factor determinante na preparação do recluso para o retorno à sociedade e na redução da reincidência criminal. E as actuais linhas de ensino não ignoram a inclusão da tecnologia no percurso pessoal e profissional do indivíduo. Assim, a aquisição de competências infocomunicacionais não deverá ser censurada nos contextos de ensino situados na margem da sociedade. Através da realização de dois estudos de caso, que tiveram como estratégia de dinamização a realização de acções de formação em competências infocomunicacionais nos estabelecimentos prisionais de Santa Cruz do Bispo Feminino e de Santa Cruz do Bispo Masculino, esta investigação explora a relação entre os factores recluso, Internet e formação, sem esquecer o contexto, para propor um modelo de formação em utilização da Internet no sistema prisional português. Os resultados desta investigação contribuíram com: – uma proposta de utilização da Internet em estabelecimento prisional que incorpora um conjunto de orientações propostas pelos reclusos participantes nos estudos de caso centradas na experimentação, na necessidade de continuar a aprender, e na partilha. – uma proposta de utilização da Internet em estabelecimento prisional a partir dos contributos das profissionais que acompanham o recluso, entrevistadas no âmbito dos estudos de caso, que inclui: um profissional dedicado à relação do indivíduo com a escola e a existência de duas modalidades de equipamento para acesso à Internet no contexto de aprendizagem, e a possibilidade de acesso à rede noutros contextos que não especificamente o de aprendizagem, sempre com supervisão. – uma proposta de entendimento do processo de aquisição de competências infocomunicacionais, composto por três dimensões — operativa e instrumental da tecnologia, cognitiva experimental, infocomunicacional — que funcionam como etapas, e cujas características têm um espectro largo de adaptação ao indivíduo e ao contexto; ademais, neste processo o perfil do indivíduo é o factor-chave no resultado obtido, estabelecendo-se como determinante: a flexibilidade e a adaptabilidade, a resiliência e a curiosidade, a capacidade crítica e a responsabilidade, e o sentido ético.

Orientador: Lídia de Jesus Oliveira Loureiro da Silva

Co-orientador: Vania Baldi

Área de concentração: Comunicação e Arte

Instituição:   Universidade de Aveiro /Ano: 2016

Download: Dissertação_Daniela Graça Silva Rocha

Tags , , , .Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Sobre Cristina de Carvalho

Arquivista na NTX It Solutions, especialização em Gestão Eletrônica de Documentos pela USCS e MBA em Gestão da Informação em Saúde pela UNISA. Foi Bibliotecária na Faculdade de Ciências e Saúde de São Paulo (FACIS) e Auxiliar de Biblioteca na UNISA. Bibliotecária formada pelo UNIFAI.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.