O trabalho docente em prisões: considerações acerca da formação

Autor: Karol Oliveira de Amorim-Silva, Maria Isabel Antunes-Rocha

Resumo: Este artigo é parte da pesquisa de mestrado que buscou apreender o que é a educação em prisões por meio das representações sociais dos educadores que nesse ambiente atuam. Para esse trabalho, o recorte se deu no aspecto da formação desse educador. Por meio do referencial teórico-metodológico das Representações Sociais, foi possível se aproximar das formas de pensar, sentir e agir dos sujeitos da pesquisa sobre a educação em prisões. Ao se pensar no processo de formação como dimensões do trabalho docente, utilizou-se o conceito de trabalho na perspectiva marxista. Nesse sentido pretendeu-se tecer algumas considerações acerca da formação específica e continuada voltada a esses educadores, bem como da produção de conhecimento em suas práticas. Percebeu-se que o tema da educação em prisões ainda é pouco trabalhado na formação inicial e continuada de professores, o que traz à tona a necessidade de pensar projetos e políticas públicas de formação para os educadores no contexto carcerário, uma vez que, por falta de uma atenção mais sistemática, encontram-se no desafio de construção de uma prática educativa contextualizada com esse ambiente e com as especificidades dos alunos ali reclusos. Em contrapartida, partindo do pressuposto do trabalho como princípio educativo, sabe-se que há construção de saberes através de suas atuações, na própria experiência.

Download: PDF

Tags , , .Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Sobre Cristina de Carvalho

Arquivista na NTX It Solutions, pós-graduanda em Gestão Eletrônica de Documentos pela USCS. Foi Bibliotecária na Faculdade de Ciências e Saúde de São Paulo e Auxiliar de Biblioteca na UNISA. Bibliotecária formada pelo UNIFAI.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.