Encontros com a prática: instrução ao sósia como dispositivo de transmutação da docência em prisão

Autor: Deivis Perez, Ruchelli Stanzani Ercolano

Resumo: Este artigo apresenta uma contribuição da psicologia social para o trabalho docente no campo da educação escolar realizada em estabelecimentos penitenciários, especificamente por intermédio da propositura de aplicação do dispositivo metodológico denominado instrução ao sósia (IS), contextualizado para a laboralidade de professores que atuam em prisões no Brasil. O dispositivo que referimos foi desenvolvido por Ivar Oddone, no quadro do Movimento Operário Italiano, e apropriado pelos pesquisadores da Clínica da Atividade, liderados por Yves Clot. A metodização ora assinalada concebe a IS no bojo dos referenciais marxianos e engelsianos e a delineia como um instrumento dedicado a ensejar as movimentações dialéticas de um grupo ou equipe de laboradores, que tomam a si mesmos e ao seu trabalho como objetos de coanálise e ação, contemplando a construção e execução de planos de aperfeiçoamento e transformação do trabalho subsidiados pela investigação e produção de saberes acerca das múltiplas dimensões que compõem a sua atividade profissional, tais como os gestos ocupacionais, afetos, contradições, conflitos, relações sociais, prescrições institucionais e do métier, padecimentos, cenários sociopolítico, econômico e cultural do labor, bem como dos aspectos concretos e simbólicos constituintes da arbitrária rotina funcional vivenciada. Em suma, a instrução ao sósia possibilita, por intermédio das atividades concreta, dialógica e reflexiva ampliar o poder de agir dos professores e ainda revitalizar o gênero profissional.

Download: PDF

Tags , , , .Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Sobre Cristina de Carvalho

Arquivista na NTX It Solutions, especialização em Gestão Eletrônica de Documentos pela USCS e MBA em Gestão da Informação em Saúde pela UNISA. Foi Bibliotecária na Faculdade de Ciências e Saúde de São Paulo (FACIS) e Auxiliar de Biblioteca na UNISA. Bibliotecária formada pelo UNIFAI.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.