Educação no cárcere feminino: formação de educadores e Currículo na perspectiva intercultural crítica

Autor: Ivanilde Apoluceno de Oliveira, Suzianne da Silva de Oliveira

Resumo: Neste artigo debate-se a formação de educadores que atuam na Educação de Jovens e Adultos em cárcere feminino. O objetivo é refletir, a partir do recorte de uma pesquisa realizada em cárcere feminino, sobre a formação de educadores para atuação como docentes em escolas de presídios com jovens e adultos e sua relação com o currículo. As questões norteadoras são: que formação é necessária para o desenvolvimento de uma educação no cárcere feminino? Que concepção de educação e de currículo são fundamentais para a formação dos educadores de presídios, e, em especial, nos cárceres femininos? A investigação foi realizada com os seguintes sujeitos: duas professoras do ensino fundamental, duas coordenadoras pedagógicas e três egressas do Centro de Reeducação Feminina – CRF. Nesta pesquisa foram utilizados como procedimentos metodológicos: o levantamento bibliográfico e documental, entrevistas semiestruturadas com uso de gravador e observação in loco, com registro no diário de campo. Os dados foram sistematizados e analisados com técnicas de categorização da análise de conteúdo. Na pesquisa, como cuidado ético, apresentou-se o Termo de Compromisso Livre e Esclarecido (TCLE) a todas as pessoas entrevistadas. Entre os resultados destaca-se que a educação no cárcere feminino, pela caracterização das mulheres atendidas, precisa de uma formação docente que debata as questões da diferença por questões de gênero, etnia, classe, entre outras, sendo a educação intercultural crítica um dos caminhos na construção curricular dos cursos de formação continuada.

Download: PDF

Tags , , .Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Sobre Cristina de Carvalho

Arquivista na NTX It Solutions, pós-graduanda em Gestão Eletrônica de Documentos pela USCS. Foi Bibliotecária na Faculdade de Ciências e Saúde de São Paulo e Auxiliar de Biblioteca na UNISA. Bibliotecária formada pelo UNIFAI.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.