Educação musical no ambiente carcerário

Autor: Felipe Gabriel Motin

Resumo: Este artigo tem como propósito relatar propostas e atividades desenvolvidas na disciplina de estágio supervisionado, do curso de Licenciatura em Música da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), na Creche da Penitenciária Feminina do Paraná, entre os meses de agosto e dezembro de 2013. A proposta de educação musical elaborada durante este período visou contemplar quarenta mães encarceradas e seus filhos, quarenta bebês e crianças com idade entre zero e três anos nascidas em espaço de privação de liberdade. A inserção dos alunos de estágio neste campo específico se deu por meio do Programa Ciência e Transcendência, fruto do acordo firmado em 2012 entre a PUCPR e a Secretaria de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos (SEJU). A equipe de estagiários foi formada por quatro alunos, tendo como supervisora de campo uma pedagoga implantada pelo Programa Ciência e Transcendência, que atua de segunda a sexta-feira, dentro da creche da Penitenciária. Dentro da Universidade, juntamente com a professora responsável pela matéria de estágio supervisionado, construímos planos de aulas semanais que foram desenvolvidas nas tardes de quinta-feira. Procuramos através da educação musical, elaborar estratégias que conduzam e propiciem um ambiente de socialização por meio da relação entre mães, filhos e agente mediador (estagiário), onde a condição de isolamento social é permanente. Nesse sentido elaboramos um repertório de músicas e atividades que pretendiam apoiar um aprendizado significativo, que explore o universo afetivo materno e ofereça uma experiência h harmoniosa para bebé e para a criança. Também buscamos estimular as crianças e bebês para o universo dos sons, ampliando os aspectos afetivos, cognitivos e psicomotores baseados principalmente na formação de um cenário que produza afabilidade, tendo em vista a violência do ambiente carcerário. Utilizamos da educação para construir de forma reflexiva a significação e autodisciplina das mulheres encarceradas na sociedade. Descobrimos neste cenário a escassez de pesquisas que permeiam o espaço prisional, entretanto, em contrapartida, as múltiplas possibilidades evidenciadas com a utilização da música no que concerne ao relacionamento entre mães e filhos, gerando por fim, propostas facilitadoras da inserção social.

Download: PDF

Tags , , , .Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Sobre Cristina de Carvalho

Arquivista na NTX It Solutions, pós-graduanda em Gestão Eletrônica de Documentos pela USCS. Foi Bibliotecária na Faculdade de Ciências e Saúde de São Paulo e Auxiliar de Biblioteca na UNISA. Bibliotecária formada pelo UNIFAI.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.