Bibliotecas prisionais e a construção da cidadania: práticas bibliotecárias em favor da inclusão social

Autor: Jorge Santa Anna, Eni Maria de Souza Pinto Zanetti, Lucileide Andrade de Lima do Nascimento

Resumo: presenta reflexões acerca das possibilidades de atuação do profissional bibliotecário, ao mediar a educação, a cultura e o lazer em busca da consolidação da cidadania, nas bibliotecas prisionais. Para tanto, através de pesquisa bibliográfica e documental, discute o direito de acesso à informação como insumo básico para concretização do exercício da cidadania na sociedade. Expõe os marcos legais que asseguram o direito de cidadania, conferido, de modo especial, aos detentos, destacando a oferta de condições dignas de convivência nos ambientes prisionais. Expõe a realidade do sistema prisional brasileiro, apresentando dados que confirmem a ambiência caótica e precária desses estabelecimentos. Discute a importância e a necessidade das bibliotecas prisionais e apresenta, de acordo com a realidade brasileira, a ausência de uma atuação bibliotecária efetiva. Por fim, conclui que, a realidade prisional brasileira não atende aos dispositivos legais, não viabilizando as potencialidades que a biblioteca tende a oferecer, sobretudo por meio da atuação de um bibliotecário. Aprende que, além de realizar atividades técnicas e tradicionais, o bibliotecário amplia seus fazeres ao atuar nesses ambientes, adquirindo competências em prol da inclusão social, atuando como agente de transformação social.

Download: PDF

Tags , , , , .Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Sobre Cristina de Carvalho

Arquivista na NTX It Solutions, pós-graduanda em Gestão Eletrônica de Documentos pela USCS. Foi Bibliotecária na Faculdade de Ciências e Saúde de São Paulo e Auxiliar de Biblioteca na UNISA. Bibliotecária formada pelo UNIFAI.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.