Biblioteca prisional: um espaço heterotópico

Autor: Amabile Costa, Rodrigo de Sales

Resumo: O presente artigo procura evidenciar as bibliotecas prisionais como espaços heterotópicos, a partir do conceito proposto por Michel Foucault e, também, como agentes do devir. Neste sentido, o questionamento está centrado em verificar a aproximação entre as bibliotecas no cárcere com o conceito de heterotopia de Foucault, tendo como objetivo geral relacionar tais bibliotecas com a ideia de heterotopia. Trata-se de um exercício de reflexão teórica caracterizado como um estudo exploratório e de natureza qualitativa. Relativo à abordagem metodológica, buscou-se colocar lado a lado os aspectos que caracterizam as bibliotecas prisionais e os princípios que definem a concepção de heterotopia, de modo a destacar os traços característicos que permitem vislumbrar que tais bibliotecas são potenciais espaços heterotópicos. Conclui-se que as bibliotecas em ambientes prisionais são potentes espaços de devires e condizentes àquilo que podemos considerar um espaço heterotópico.

Download: PDF

Tags , , , .Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Sobre Cristina de Carvalho

Arquivista na NTX It Solutions, especialização em Gestão Eletrônica de Documentos pela USCS e MBA em Gestão da Informação em Saúde pela UNISA. Foi Bibliotecária na Faculdade de Ciências e Saúde de São Paulo (FACIS) e Auxiliar de Biblioteca na UNISA. Bibliotecária formada pelo UNIFAI.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.